Estudantes pedem federalização da Gama Filho e da UniverCidade

14 de janeiro de 2014

Educação



Estudantes pedem federalização da Gama Filho e da UniverCidade
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/estudantes-pedem-federalizacao-da-gama-filho-e-da-univercidade
Jan 14th 2014, 22:51

Akemi Nitahara

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro – Estudantes da Universidade Gama Filho (UFG) e do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade), que foram descredenciadas ontem (13) pelo Ministério da Educação (MEC), fizeram hoje (14) uma manifestação no centro da cidade. A concentração foi na Igreja da Candelária, de onde os estudantes saíram por volta de 18h30 pela Avenida Presidente Vargas até a Central do Brasil.
Com palavras de ordem e cartazes, os estudantes diziam que o descredenciamento não é a solução para os problemas das duas instituições e pediam intervenção federal com possibilidade de federalização. De acordo com a Polícia Militar, a passeata chegou a reunir cerca de mil pessoas. Os organizadores do movimento anunciaram a presença de 1.500 estudantes.
O coordenador-geral de Exatas do Diretório Central de Estudantes (DCE) da Gama Filho, Anderson Diniz, aluno do curso de engenharia elétrica, ressaltou que os estudantes pediram uma solução ao MEC, mas entendem que o descredenciamento das duas instituições não resolve os problemas.
"Nosso plano principal sempre foi a intervenção, sempre foi buscar a federalização da Gama Filho, porque sabíamos que isso era possível. Tínhamos estudos de casos, levamos para Brasília, levamos ao [ministro da Educação Aluísio] Mercadante, que foi omisso. Ele disse que a única intervenção que poderia fazer a mais era descredenciar, que já havia feito o TSD [Termo de Saneamento de Deficiências], que já tinha feito o cancelamento do vestibular, mas essa não era a intervenção que queríamos", reclamou Anderson.
Ele citou o exemplo da Universidade Federal do Pampa (UniPampa), com sede em Bagé, Rio Grande do Sul, criada por lei em 2008. De acordo com matéria publicada pelo Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinpro-RS), a Unipampa surgiu do processo de mobilização em favor da Universidade da Região da Campanha (Urcamp), a partir de 2005.
No protesto de hoje, os estudantes também refutaram o argumento do MEC de que a qualidade do ensino nas instituições é ruim e defenderam os professores. "O problema sempre foi o [Grupo] Galileo [Educacional – mantenedora das instituições], o ensino da Gama Filho nunca foi questionado, nossos professores são mestres, doutores, aqueles que não são doutores estão buscando o doutorado. Temos excelência em engenharia, medicina, educação física, história, toda a parte de humanas também. Então, não tem por que fechar a Gama Filho. Porque não desfazer a mantença e voltar para a família, que tinha investidores?", questionou Diniz.
Durante a passeata, o deputado estadual Robson Leite (PT), que foi relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Universidades Privadas na Assembleia Legislativa do Estado Rio de Janeiro (Alerj) em 2012, informou que os estudantes receberam um manifesto assinado pelos reitores das universidades federais do Rio de Janeiro e Cefets apoiando a federalização da Gama Filho e da UniverCidade como melhor solução para o problema.
O MEC, porém, diz que não há possibilidade de federalizar a UFG e a UniverCidade e que, após todas as tentativas de resolver os problemas, o descredenciamento foi a última opção. Agora, o MEC vai acompanhar a transferência assistida dos alunos para outras faculdades.
Mais cedo, o presidente do Grupo Galileo Educacional, Alex Porto, pediu que os alunos da UGF e do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade ) tenham "um pouco de paciência", e pediu desculpas pelo descredenciamento.
Os estudantes marcaram para esta quinta-feira (16) um ato em frente ao Ministério Público Federal, das 16h às 18h, para pedir a intervenção do órgão no caso.
Edição: Nádia Franco
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Reitores pedem federalização da Gama Filho e da UniverCidade

Educação



Reitores pedem federalização da Gama Filho e da UniverCidade
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/reitores-pedem-federalizacao-da-gama-filho-e-da-univercidade
Jan 14th 2014, 21:39

Cristina Indio do Brasil

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro - Os dirigentes das universidades federal do Estado do Rio de Janeiro (Uni-Rio), da Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), da Federal Fluminense (UFF), da Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ) propuseram a federalização da Universidade Gama Filho e do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade) que foram descredenciados pelo Ministério da Educação (MEC).
Após reunião hoje (14), os reitores das instituições divulgaram uma nota em que defendem a federalização como alternativa para que os mais de 10 mil estudantes das entidades descredenciadas não fiquem sem concluir o curso superior. Na nota, eles dizem estar preocupados com a qualidade da educação, responsabilidade do governo federal no credenciamento e acompanhamento das instituições da educação superior no país.
"Assim, apoiamos como solução a federalização da Universidade Gama Filho e do Centro Universitário da Cidade, ambos do estado do Rio de Janeiro. Reconhecendo o grande avanço na educação nos últimos anos e a continuidade das ações positivas do atual governo, conclamamos a presidenta da República, Dilma Rousseff, e o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, para que considerem a nossa proposta de federalização, já que possuem todas as condições técnicas e políticas para a implementação da proposta para, com isso, atender aos anseios das forças sociais, políticas e estudantis", diz o texto.
Para os reitores, a transferência dos estudantes para outras instituições pode ser inviável. "Consideramos também que o caminho para a solução do problema, que atinge os membros da comunidade acadêmica (alunos, servidores docentes e técnico administrativos), com forte impacto social, não seja uma simples redistribuição dos estudantes, tarefa que não é fácil e pode se mostrar inviável a curto e médio prazo, agravando a situação".
Eles completam destacando que a educação não pode ser vista como um negócio, mas um investimento de longo prazo, cuja maior responsabilidade cabe aos governos. "Neste sentido, reafirmamos a nossa disposição para colaborar com o processo de federalização, mantendo o compromisso com a educação de qualidade".
Durante o encontro, foi também discutido o calendário letivo de 2014 em decorrência das chamadas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e a formalização de um acordo de cooperação científica entre as cinco instituições.
Participaram da reunião os reitores da Uni-Rio, Luiz Pedro San Gil Jutuca; da UFRRJ, Ana Maria Dantas Soares; da UFF, Roberto de Souza Salles; em exercício da UFRJ, Antônio José Ledo Alves Cunha; e o diretor-geral do Cefet-RJ, Carlos Henrique Figueiredo Alves.

Edição: Carolina Pimentel
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Alunos da Gama Filho e da UniverCidade protestam no Rio contra descredenciamento

Educação



Alunos da Gama Filho e da UniverCidade protestam no Rio contra descredenciamento
http://agenciabrasil.ebc.com.br/galeria/2014-01-14/alunos-da-gama-filho-e-da-univercidade-protestam-no-rio-contra-descredenciamento
Jan 14th 2014, 21:30

Rio de Janeiro - Alunos da Universidade Gama Filho e da UniverCidade protestam na Avenida Presidente Vargas, no centro, contra a decisão do Ministério da Educação de descredenciar as instituições



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Mais de 676 mil candidatos já fizeram inscrição no ProUni

Educação



Mais de 676 mil candidatos já fizeram inscrição no ProUni
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/mais-de-676-mil-candidatos-ja-fizeram-inscricao-no-prouni
Jan 14th 2014, 20:24



Mariana Tokarnia

Repórter da Agência Brasil
Brasília - Até as 19h de hoje (14), 676.416 candidatos fizeram a inscrição no Programa Universidade para Todos (ProUni). O número de inscrições era 1.285.054, pois cada candidato pode fazer até duas opções de curso. O prazo de inscrições começou ontem (13) e vai até sexta-feira (17), às 23h59, horário de Brasília.
Nesta edição, o programa oferece 131.636 bolsas integrais e 59.989 parciais, em 25,9 mil cursos. Isso significa crescimento de 18% na oferta em relação à primeira edição do ano passado. Estão programadas duas chamadas on-line de candidatos. O resultado da primeira será divulgado no dia 20 e o da segunda, no dia 3 de fevereiro, ambos na página do programa na internet.
Para fazer a inscrição na primeira edição de 2014 do ProUni, o candidato deve ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013 e obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas. Não pode ter tirado nota zero na redação. No momento da inscrição, será necessário informar o número de inscrição e a senha usados no Enem e o Cadastro de Pessoa Física (CPF). O candidato não pode ter diploma de curso superior.
Para concorrer à bolsa integral, o estudante deve comprovar renda familiar por pessoa de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais, a renda familiar deve ser de até três salários mínimos por pessoa. Estão dispensados dos requisitos de renda os professores da rede pública em efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública. Eles concorrem exclusivamente a bolsas para cursos de licenciatura.
Para os concorrentes à bolsa parcial, há ainda os benefícios do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O candidato pode custear os outros 50% da mensalidade, sem a necessidade de apresentação de fiador. Para isso, é necessário que a instituição para a qual foi selecionado tenha firmado termo de adesão ao Fies e ao Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (Fgeduc).
O estudante que se inscreveu no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) também pode se inscrever no Prouni. Porém, caso seja selecionado nos dois processos, o estudante deverá escolher uma das vagas.
Veja abaixo o cronograma do ProUni:
Inscrições: de 13 a 17 de janeiro de 2014
Resultado da primeira chamada: 20 de janeiro
Comprovação de informações: de 20 a 24 de janeiro
Resultado da segunda chamada: 3 de fevereiro
Comprovação das informações: de 3 a 6 de fevereiro
Prazo para manifestar interesse em participar da lista de espera: 13 e 14 de fevereiro
Comprovação de informações dos participantes da lista de espera: 19 e 20 de fevereiro

Edição: Fábio Massalli
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Defensoria Pública do Rio vai pedir indenização para alunos das universidades descredenciadas

Educação



Defensoria Pública do Rio vai pedir indenização para alunos das universidades descredenciadas
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/defensoria-publica-do-rio-vai-pedir-indenizacao-para-alunos-das-universidades-descredenciadas
Jan 14th 2014, 19:48

Alana Gandra

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro - A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon), vai ingressar nas próximas horas com uma ação Civil Pública "para buscar solução judicial que garanta os direitos dos alunos lesados" da Universidade Gama Filho (UGF), além de eventual indenização por danos sofridos.
Em nota divulgada esta tarde (14), a Defensoria informou acompanhar, desde abril do ano passado, a situação, em especial, dos estudantes do curso de medicina da UGF, descredenciada ontem (13) pelo Ministério da Educação, junto com o Centro Universitário da Cidade (UniverCidade). As duas instituições têm como atual mantenedora o Grupo Galileo Educacional.
O grupo de alunos da UGF é assistido pelo Nudecon, "com queixas sobre reajuste de mensalidades, interrupção do ano letivo e dificuldades na obtenção de documentos necessários à transferência para outra instituição de ensino superior", relata a nota da Defensoria Pública do Rio de Janeiro.
A coordenadora do núcleo, Larissa Davidovich, e o subcoordenador de Tutela Coletiva, Eduardo Chow, tratam do caso. Chow disse à Agência Brasil que diante da amplitude que a situação ganhou, o Nudecon já está ponderando incluir na ação pública também os alunos da UniverCidade.
Em relação ao eventual pedido de indenização, ele disse que o núcleo está "ponderando a questão tanto individual, como coletiva". Esclareceu que a indenização individual se refere à devolução das mensalidades cobradas de forma indevida.
Segundo relato do aluno do nono período do curso de direito da UniverCidade, Guilherme Pereira, os estudantes estão sem aulas desde outubro, mas recebem os boletos para pagamento normalmente. Nesse tipo de caso, de acordo com o defensor público, "a devolução tem que ser em dobro". "Não há a contraprestação educacional do serviço pago. É uma cobrança indevida. O pagamento foi indevido e a devolução, em defesa do consumidor, tem que ser em dobro".
Já a ação coletiva estaria vinculada à indefinição sobre o futuro das duas universidades e as consequências para os alunos, tanto por parte do Ministério da Educação, como da Galileo Educacional. "Isso demanda uma reparação por dano moral coletivo ou dano social e aí gera um valor de milhões", explicou Chow.


Edição: Aécio Amado
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

MEC estuda transferir professores e funcionários da Gama Filho e da UniverCidade

Educação



MEC estuda transferir professores e funcionários da Gama Filho e da UniverCidade
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/mec-estuda-transferir-professores-e-funcionarios-da-gama-filho-e-da-univercidade
Jan 14th 2014, 19:48

Mariana Tokarnia

Repórter da Agência Brasil
Brasília - O Ministério da Educação (MEC) estuda uma forma de transferir também os professores e funcionários administrativos da Universidade Gama Filho e da Centro Universitário da Cidade (UniverCidade), ambas geridas pelo Grupo Galileo, no Rio de Janeiro. A medida é inédita e a pasta avalia a viabilidade jurídica de executá-la. Segundo nota divulgada pela mantenedora, são 1,6 mil professores e mil funcionários administrativos ligadas às instituições.
Com o descredenciamento anunciado ontem (13) pelo MEC, os estudantes passarão por um processo de transferência assistida. O secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior, Jorge Messias, explica que os docentes integram a comunidade acadêmica e têm uma relação trabalhista com a mantenedora.
"O ministério estuda uma possibilidade, alguma forma de contemplá-los em uma eventual transferência", disse Messias. "Não há garantia, não há segurança, pois existem limites legais para a transferência de docentes, mas é uma possibilidade que o ministério está estudando: contemplar, se possível, os professores e administrativos".
O descredenciamento ainda cabe a interposição de recurso, o que o Grupo Galileo informou que fará. Até o início da tarde de hoje (13), no entanto, o grupo ainda não havia entrado com recurso no MEC, conforme informou Messias.
As polêmicas que envolvem a Gama Filho e a UniverCidade começaram em 2012, quando o MEC instaurou um processo de supervisão a partir de denúncias de irregularidades, deficiências acadêmicas e insuficiência financeira relacionadas ao início da gestão do Grupo Galileo.
No início de 2013, com o processo em curso e a assunção de novos controladores do Grupo Galileo, a crise nas instituições se agravou com a deflagração de greve de professores, de funcionários e de estudantes por falta de pagamento dos salários e precarização das condições de oferta em ambas instituições.
Diante do descumprimento por parte da mantenedora do Termo de Saneamento de Deficiências acordado, o MEC instaurou, em dezembro de 2013, processo administrativo para aplicação de penalidades, com prazo de 15 dias para a defesa. Apresentada a defesa, o ministério analisou a manifestação e os demais elementos constantes da supervisão e concluiu pelo descredenciamento de ambas as instituições com o objetivo de preservar o interesse dos estudantes e da sociedade por uma educação superior de qualidade.

Edição: Fábio Massalli
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Presidente do Grupo Galileo pede “paciência” a alunos da Gama Filho e da UniverCidade

Educação



Presidente do Grupo Galileo pede "paciência" a alunos da Gama Filho e da UniverCidade
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/presidente-do-grupo-galileo-pede-%E2%80%9Cpaciencia%E2%80%9D-alunos-da-gama-filho-e-da-univercidade
Jan 14th 2014, 18:33

Alana Gandra

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro - O presidente do Grupo Galileo Educacional, Alex Porto, pediu que os alunos da Universidade Gama Filho (UGF) e do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade ) tenham "um pouco de paciência", enquanto a atual mantenedora das duas universidades privadas do Rio de Janeiro tenta reverter o descredenciamento das instituições pelo Ministério da Educação (MEC). Ele qualificou a decisão do ministério de "arbitrária, ilegal e inconstitucional".
Em entrevista coletiva concedida hoje (14) à imprensa, Porto afiançou que não haverá prejuízos aos alunos formandos, mesmo inadimplentes, que desejarem se transferir para outras instituições privadas, porque eles terão todos os documentos a que têm direito. Para isso, devem fazer as solicitações por meio do e-mail [email protected], onde receberão as orientações pertinentes.
Porto lamentou que alguns alunos possam optar pela transferência antes que a Galileo Educacional consiga reverter a decisão do MEC, seja no Conselho Nacional de Educação, ou na Justiça, onde está entrando com recurso administrativo e ação. Ele sinalizou que a garantia para isso são os ativos das instituições e da mantenedora.
Para o presidente, em menos de um mês, a situação, "que é muito delicada", poderá ser revertida. Nesse contexto, ele indagou "por que essa punição extrema" do MEC às duas universidades do Rio, se outras instituições enfrentam dificuldades financeiras "e não tiveram esse tipo de medida?". Porto não trabalha com a hipótese de o descredenciamento ser levado a cabo, "porque confio que a Justiça reverterá a decisão [do MEC]". Ele acrescentou ainda ver como remota a possibilidade de o MEC vir a assumir as duas universidades privadas.
"Queremos nos solidarizar com os alunos, pedir desculpas por qualquer coisa". Porto assegurou que a mantenedora vai empreender todos os esforços para proceder ao saneamento da dívida das universidades, que soma R$ 500 milhões. O valor levou seis meses para ser auditado, segundo o presidente da Galileo. Além do montante, existem mais R$ 400 milhões que estão provisionados e se referem a dívidas tributárias das mantenedoras anteriores (Sociedade Universitária Gama Filho- SUGF e Associação Educacional São Paulo Apóstolo – Assespa), cujo caráter filantrópico está sendo decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
Porto esclareceu que desde que assumiu as duas instituições e seu passivo, há 12 meses, a Galileo Educacional vem efetuando um processo de reestruturação e conduzindo um plano de capitalização. Ele frisou que, ao assumir as universidades, "já havia um quadro agudo de dificuldades". A mantenedora conseguiu fazer uma reestruturação acadêmica e ingressou, em dezembro de 2012, no Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (Proies) para refinanciamento do passivo, parcelado em 180 meses. "Conseguimos fazer a regularização do débito bancário, mas o endividamento agravou a situação". A empresa enfrentou duas greves, motivadas pela falta de pagamento aos professores.
"Há inadimplência devido ao descompasso entre receita e despesa", admitiu Porto. O aporte de R$ 33 milhões feito em setembro conseguiu pagar três meses (julho, agosto e setembro) de salários dos docentes e funcionários, que somam mais de 3 mil pessoas, mas não pôde reverter a questão salarial. Porto disse que a Galileo tentou que os portadores de debêntures (títulos) das instituições liberassem R$ 31 milhões em dezembro para que fossem pagos os salários de outubro, novembro e dezembro, além do 13º salário, dos funcionários, mas não obteve êxito.
A atual mantenedora continua trabalhando em um plano de capitalização para resolver a situação das universidades. O saneamento envolve a venda de ativos imobiliários das UGF e da UniverCidade em Ipanema, na zona sul da cidade, e em Piedade e Madureira, na zona norte, por exemplo; a venda de mais imóveis do Grupo Galileo Educacional: e, ainda, o lançamento de debêntures, que ocorrerá após a resolução da dívida. Alex Porto negou que vai pedir a recuperação judicial das instituições, porque o patrimônio de cerca de R$ 1 bilhão é suficiente para arcar com o passivo.
O presidente da Galileo Educacional descartou que a mantenedora venha a arcar com eventuais gastos com transferências de alunos para outras instituições. Para ele, os custos causados pelo descredenciamento são competência do MEC. Segundo Porto, as aulas podem voltar a ser dadas na UGF e na UniverCidade tão logo ocorra o pagamento dos salários dos docentes e funcionários. Uma força tarefa integrada por 15 funcionários da Galileo foi constituída para minimizar a situação no prazo "mais rápido possível".
Porto refutou, ainda, a má qualidade do ensino das universidades, um dos motivos alegados pelo MEC para o descredenciamento, lembrando que o nível de "excelência" dos docente e o fato de os cursos oferecidos terem recebido indicadores positivos do próprio ministério. O corpo discente da UGF totaliza 5,5 mil alunos, enquanto a UniverCidade tem 4 mil estudantes.
Na estimativa de Alex Porto, o pagamento dos salários aos professores deverá ser resolvido em 30 dias.

Edição: Fábio Massalli
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Número de inscritos no ProUni já passa de 542 mil

Educação



Número de inscritos no ProUni já passa de 542 mil
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/numero-de-inscritos-no-prouni-ja-passa-de-542-mil
Jan 14th 2014, 14:34



Yara Aquino

Repórter da Agência Brasil
Brasília – O Programa Universidade para Todos (ProUni) registrou 542.049 inscritos até o meio-dia de hoje (14). As inscrições somam 1.026.103, pois cada candidato pode fazer até duas opções de curso. O ProUni oferta bolsas integrais e parciais em instituições privadas de educação superior. As inscrições foram abertas ontem (13) e o prazo vai até as 23h59 de sexta-feira (17).
Na edição do primeiro semestre deste ano são 191.625 bolsas em 1.116 instituições, sendo 131.636 bolsas integrais e 59.989 parciais. Pode participar da seleção o estudante que tenha feito a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013 e obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas. O candidato não pode ter tirado zero na redação e precisa ter cursado o ensino médio na rede pública ou com bolsa integral na rede privada.
As bolsas integrais são para os estudantes com renda bruta familiar, por pessoa, até um salário mínimo e meio. As parciais para os candidatos com renda bruta familiar até três salários mínimos por pessoa. O bolsista parcial poderá utilizar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para custear o restante da mensalidade.
Nesta edição do ProUni, os cursos com maior oferta de vagas são administração (21.252), pedagogia (14.773), direito (13.794) e ciências contábeis (10.883). O estado de São Paulo é o que tem mais vagas disponíveis. São cerca de 64,3 mil, seguido de Minas Gerais, com 19,5 mil, e do Paraná, com 16,5 mil.

Veja abaixo o cronograma do Prouni:
Inscrições: de 13 a 17 de janeiro de 2014
Resultado da primeira chamada: 20 de janeiro
Comprovação de informações: de 20 a 24 de janeiro
Resultado da segunda chamada: 3 de fevereiro
Comprovação das informações: de 3 a 6 de fevereiro
Prazo para manifestar interesse em participar da lista de espera: 13 e 14 de fevereiro
Comprovação de informações dos participantes da lista de espera: 19 e 20 de fevereiro

Edição: Aécio Amado
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Sindicato critica descredenciamento de faculdades e pede intervenção do MEC

Educação



Sindicato critica descredenciamento de faculdades e pede intervenção do MEC
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/sindicato-critica-descredenciamento-de-faculdades-e-pede-intervencao-do-mec
Jan 14th 2014, 13:08

Vinícius Lisboa

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro - O Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio de Janeiro (Sinpro) criticou hoje (14) a decisão do Ministério da Educação de descredenciar as universidades Gama Filho e UniverCidade. Para o presidente do sindicato, Wanderley Quedo, a política de transferência assistida proposta pelo ministério não vai dar conta de matricular 10 mil alunos das instituições em outras faculdades em dois meses, nem dará qualquer tipo de garantia ao corpo docente, que, segundo ele, soma cerca de 2 mil professores e profissionais da educação.
"É algo de uma magnitude que o MEC nunca experimentou. Para onde vão esses 10 mil alunos? Somos contra esse descredenciamento, principalmente por não ter um plano de contingência em que a situação fique clara para todos. O MEC deveria fazer uma intervenção e poderia até descredenciar, mas dentro de um prazo maior", argumenta Quedo, que disse ter se reunido com o Ministério Público Federal ontem solicitando a intervenção financeira e acadêmica do governo nas instituições.
O MEC justificou a decisão, alegando que as instituições apresentam baixa qualidade acadêmica, grave comprometimento da situação econômico-financeira da mantenedora, o Grupo Galileo, e a falta de um plano viável para superar o problema. A instituição, segundo o MEC, também descumpriu o Termo de Saneamento de Deficiências, e, a partir disso, foi instaurado um processo de penalidades que culminou no descredenciamento.
Em nota divulgada em seu site, o ministério informa que a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) vai publicar dentro de cinco dias úteis um edital convocando instituições de educação superior do Rio que tenham interesse e condições de receber os alunos. Além da continuidade da formação, as instituições devem garantir o aproveitamento dos estudos realizados, a permanência em programas federais de acesso ao ensino superior e "condições satisfatórias de qualidade da oferta e economicamente compatíveis aos estudantes em situação de transferência acadêmica".
Para o sindicato, os funcionários das instituições ficarão em situação de vulnerabilidade: "Os docentes ficam na mão da Justiça do Trabalho, e isso pode levar anos. Eles se descapitalizam, se fragilizam como pessoa física. Ficam em situação extremamente vulnerável. Exigimos respostas rápidas e eficientes, porque são famílias de professores e trabalhadores que estão aguardando um posicionamento do MEC".
Edição: Graça Adjuto
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Enem 2013: 7,6% dos candidatos atingiram requisitos mínimos para certificação

Educação



Enem 2013: 7,6% dos candidatos atingiram requisitos mínimos para certificação
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/enem-2013-76-dos-candidatos-atingiram-requisitos-minimos-para-certificacao
Jan 14th 2014, 13:25

Yara Aquino

Repórter da Agência Brasil
Brasília – Dos candidatos que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2013 e buscavam o certificado de conclusão do ensino médio, apenas 7,6% atingiram os requisitos mínimos. No total, foram 784.830 participantes e 60.320 poderão obter o certificado. O dado é do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
Tem direito ao documento o candidato que alcançou o mínimo de 450 pontos em cada área do conhecimento avaliada no Enem, o mínimo de 500 pontos na redação e ter completado 18 anos de idade até 26 de outubro de 2013, data da primeira prova.
Desde o último dia 10, os candidatos podem encaminhar o pedido de certificado. Para isso, o estudante deve procurar a instituição na qual pediu o certificado ao fazer a inscrição no Enem e apresentar o boletim de notas do exame. A expedição do documento é gratuita. O candidato não precisa levar o registro de conclusão do ensino fundamental. O prazo máximo para a entrega do certificado é 45 dias.
A expedição de certificados é feita pelos 38 institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia e seus campi em todo o país e pelas secretarias de Educação dos 26 estados e do Distrito Federal.
Edição: Graça Adjuto
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Estudantes da Gama Filho embarcam para Brasília a fim de protestar contra descredenciamento

Educação



Estudantes da Gama Filho embarcam para Brasília a fim de protestar contra descredenciamento
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/estudantes-da-gama-filho-embarcam-para-brasilia-fim-de-protestar-contra-descredenciamento
Jan 14th 2014, 13:28


Da Agência Brasil
Rio de Janeiro – Um grupo de 45 estudantes da Universidade Gama Filho (UGF) embarcou, na manhã de hoje (14), em um ônibus para Brasília. Na capital federal, eles vão protestar em frente ao Ministério da Educação (MEC) contra o descredenciamento das universidades geridas pelo Grupo Galileo Educacional – Centro Universitário da Cidade (UniverCidade) e UGF.
Os alunos ficarão em alojamentos onde já estão representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e do Centro Acadêmico de Medicina (Camed). De acordo com o vice-presidente do Camed, Rodrigo Mion, que cursa o décimo período de medicina, a primeira reunião entre o MEC e os estudantes ocorreu ontem (13).
"Ontem ocorreu a primeira reunião da comissão de acompanhamento do processo. Não foi lançada ainda nenhuma notícia oficial do MEC em relação a essa reunião. O que a gente sabe é por meio do nosso representante que está lá. Ele disse que foi uma reunião que teve o seu proveito por ter começado a se debater os moldes das futuras ações", disse Mion.
Segundo o vice-presidente, a maioria dos alunos, tanto de medicina como dos outros cursos, não terminou o segundo semestre do ano letivo de 2013 devido aos problemas envolvendo a Galileo. Ele declarou ainda que o Camed e o DCE sempre mantiveram uma boa relação com o movimento dos professores e apoiaram a greve ocorrida no ano passado.
"Na opinião da grande maioria dos alunos da Universidade Gama Filho, o MEC tem sido omisso. Temos avisado isso há dois anos, antes disso acontecer. Avisamos que a situação financeira da faculdade iria influenciar no funcionamento acadêmico. A crise na Gama Filho, diga-se, não é pedagógica, não é acadêmica. A crise é administrativa", completou o estudante.
O diretor de Comunicações do Diretório Central dos Estudantes, Rafael Lima, disse que os alunos da Gama Filho continuarão lutando para que possam concluir os estudos na universidade onde iniciaram o ensino superior.
"O DCE vai continuar lutando para que a nossa universidade se reerga. Queremos tirar a Galileo Educacional, mas entendemos que a transferência assistida não é uma solução. Porque, no Rio de Janeiro, não existem faculdades para absorver esse grande número de estudantes. Então, a transferência assistida é uma grande loteria. Ninguém sabe para onde vai", explicou.
A mãe de uma das alunas que está concluindo a faculdade de medicina, Célia Leroy, disse estar muito triste com toda a situação de "uma das faculdades mais tradicionais do país". "Eu acompanho minha filha desde os 3 anos de idade. Ela tem previsão de se formar em novembro deste ano. Agora, com essa transferência assistida, vamos esperar. Eu, como mãe, estou muito triste porque é o sonho da minha filha", destacou.
Os alunos da Universidade Gama Filho e da UniverCidade marcaram um protesto para as 17h30 na Candelária, no centro do Rio. A manifestação receberá o apoio de movimentos estudantis que estão engajados na luta para reerguer as universidades descredenciadas.

Edição: Aécio Amado
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Estudantes da Gama Filho embarcam para Brasília a fim de protestar contra descredenciamento

Educação



Estudantes da Gama Filho embarcam para Brasília a fim de protestar contra descredenciamento
http://agenciabrasil.ebc.com.br/galeria/2014-01-14/estudantes-da-gama-filho-embarcam-para-brasilia-fim-de-protestar-contra-descredenciamento
Jan 14th 2014, 13:39





You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX

Pais devem ficar atentos ao contratar transporte escolar para os filhos

Educação



Pais devem ficar atentos ao contratar transporte escolar para os filhos
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-14/pais-devem-ficar-atentos-ao-contratar-transporte-escolar-para-os-filhos
Jan 14th 2014, 06:17


Yara Aquino

Repórter da Agência Brasil
Brasília – Com a proximidade do reinício das aulas, muitos pais começam a procurar transporte escolar para garantir que os filhos cheguem ao colégio sem atraso e voltem para casa com tranquilidade. Antes de contratar o serviço, no entanto, é preciso verificar se o veículo tem autorização para transportar crianças e adolescentes e ficar atento aos itens de segurança.
Pedir referências a pais de outros estudantes e verificar se a escola tem indicação de motoristas que já fazem o transporte de outros alunos da instituição são alternativas. Ao encontrar um prestador de serviço, a primeira medida a ser observada é se o veículo tem autorização do Departamento de Trânsito (Detran) para fazer transporte escolar. Para obter a autorização, o veículo tem que passar por uma vistoria e são liberados apenas os que apresentam as condições adequadas e os itens de segurança necessários.
"Verificar se o veículo está autorizado é o primeiro passo para contratar. Se ele está autorizado, significa que passou por vistoria e está em condição de rodar. Com esse dado, sugerimos que os pais observem um ou dois dias o modo como o motorista dirige, o cuidado que tem com as crianças no momento do embarque e desembarque", orienta o chefe do Núcleo de Operação Técnico do Departamento de Trânsito do Distrito Federal, Helder Athan.
A vistoria ocorre periodicamente, mas os pais também devem ficar atentos à conservação do veículo ao longo dos meses e a manutenção dos itens de segurança como a qualidade dos pneus, o funcionamento dos cintos de segurança, de faróis e lanternas, por exemplo.
Os pais podem verificar ainda se o motorista fez o curso de capacitação exigido para o transporte escolar. A informação consta na carteira de habilitação, que precisa ser da categoria D. "O pai deve ter a preocupação de saber quem está conduzindo e pedir que o condutor do veículo apresente a habilitação. No campo de observações, vai constar a indicação de habilitado escolar", explica Helder Athan.
A negociação do contrato de prestação de serviço também merece atenção. A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) tem uma cartilha com orientações para os pais e sugere que é importante ficar claro se haverá reajuste da mensalidade em caso de aumento de preço dos combustíveis. A cartinha sugere ainda negociar a melhor data para pagamento e discutir a inclusão de uma cláusula de multa por descumprimento de horários.

Edição: Graça Adjuto
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/95K/xZcYkX


Explore o MAXX

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Cultura

Famosos
MAXX FM
Música
Sobre Rodas
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2017 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade, em especial no que tange ao uso de cookies."

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni